Action Hiken, volume 20

Avaliado como 5.00 de 5, com baseado em 1 avaliação de cliente
(1 avaliação de cliente)

R$15,00

Frete Grátis! 

 

154 páginas

Preto e Branco

Miolo: Papel Offset 90g

Capa: Papel Cartão Plastificado

Brochura, costurado e colado

Descrição

Antologia de mangás nacionais publicada originalmente online. Novas edições todo mês!

Mês
Junho/2017
Capa
Especial de 1 ano de Two-Sided [Jazi Almeida]
Séries
1 – Two-Sided x Nightfall (Crossover) – Jazi Almeida e João Brito
2 – Two-Sided #14.5 – Jazi Almeida
3 – Hooligan #09 – Jayson Santos
4 – Fim dos Deuses #04 – Samuel Grativol
5 – Final Spark #04 – Mailson Ferreira
6 – O Herói Que Não Salvou o Mundo (One-Shot) – Paulo Alberto

1 avaliação para Action Hiken, volume 20

  1. Avaliação 5 de 5

    Caliel Alves

    Revista Action Hiken ed. #20 – TOC do mês de junho 2017

    A união faz… mangá

    Capa [Two Sided, comemoração de 1 ano de publicação, crossover com Nightfall]
    Two Sided x Nightfall¬ – [Crossover] – arte Jazi Almeida e João Brito, roteiro Gui Yuuji e Fábio Gesse
    Two Sided – Cap.14.5 – Jazi Almeida
    Hooligan – Cap.09 – Jayson Santos
    Fim dos Deuses – Cap.04 – por Samuel S. Grativol
    Final Spark – Cap.04 – Mailson Ferreira
    O Herói Que Não Salvou O Mundo¬ – [One-shot] – Paulo Alberto

    Antes eu gostaria de comentar o edital dessa edição – embora não seja meu foco, que se restringe a analisar os mangás publicados na respeitável Revista Action Hiken – eu, Caliel Alves, fico muito chateado quando pessoas que se esforçam para realizar os seus sonhos de maneira honesta serem criticados covardemente por outros que além de não lutarem pelo seu sucesso, não querem que outros obtenham também. O nome disso é inveja, sim, quando o monstro verde se instala no coração de algumas pessoas, principalmente artistas e/ou pseudocríticos, o máximo que sabem fazer é depreciar o trabalho alheio. Adoro a RAH, curto, divulgo, leio e recomendo não só pela qualidade do seu trabalho, mas pelo profissionalismo dos seus artistas e respeito dos editores com seus leitores, não vou dizer o nome dos acríticos pois não merecem serem citados por mim. Gente, se vocês quiserem ter um lugar ao sol, conquistem o espaço de vocês como a RAH fez: através de suor, sangue e lágrimas.
    Primeiro de tudo: eu sou fã do Jazi Almeida, ele é supertranquilo, talentoso e esforçado, ele é shonen no jeito de trabalhar também. O crossover que abre a revista é com o Nightfall, mangá de fantasia protagonizado por dois magos, o Makki e o Ishihawa. Ambos são magos mercenários e combinam perfeitamente em personalidade e poderes. Eu adorei a mistura e a arte dos dois mangakás, o roteirista Gui Yuuji (também editor-chefe da Yuuji Magazine, revista que infelizmente deixou de ser publicada) soube fusionar os dois mundos de maneira crível, adorei a proposta e espero que novos crossovers assim possam ocorrer. Eu gostei muito dessa aventura e a luta é fenomenal. Leia caro leitor, você não vai se arrepender.
    O capítulo de Two Sided nessa edição se restringiu a explicar o que é Reiki, que existe de verdade e é uma espécie de estudo esotérico para controle da energia vital. Como o Yui tava espancando no crossover, esse capítulo funcionou mais como um extra que um capítulo serializado, sem contra a ficha de personagens e… spoilers.
    Riot, o “Panacão”, Rest, o “Sábio” e Sasha, a “Garota Má”. A dupla de garotos chega ao QG das Little Ladies, Garnet faz uma proposta (ou seria um ultimato) a Sasha. Ficamos conhecendo o passado da juíza e do sistema de juízes que tenta trazer ordem a anarquia que o país virou (e o Brasil nunca foi hein?). A resposta não é a esperada e todos lutam contra Garnet, saída ou suicídio?
    Fim dos Deuses continua mostrando a luta entre o Trynn e o Sam. O autor parece gostar muito do Sam, se minha teoria estiver certa, eles dois devem ter uma personalidade bem parecida. Sam é um lutador, estilo corpo a corpo, Trynn um ladino, um cara que foca nas estratégias, seu tempo de reação pode ser o motivo da sua derrota ou vitória. No fim do capítulo o autor responde algumas perguntas dos leitores. O Espírito parece ser um conceito bem construtivo, e a história tem sim inspiração na mitologia nórdica, embora se passe inicialmente num deserto.
    FS mostra finalmente o término do encontro aleatório. A garota maga derrota todo o bando, descobrimos que ela é uma riquinha mimada, Sellen Hamada, que deseja chegar a Rukon também. Agora sabemos o nome do protagonista nem-nem, Kazui e do lutador esquentadinho, Hisaru. Engraçado é que o protagonista sabe o nome de todos, porque? O trio decide passar a noite no local, até saber como vencer o obstáculo que obstrui a passagem para a Cidade Central. Eles são observados por uma bruxa e um ogro. Crítica ao Mailson Ferreira: ele “chupinhou” um desenho, ou melhor, plagiou um desenho do Livro Monstro do Mangá lançado pela Livros Escala (vejam a semelhança, o personagem está na p. 123, no fim do capítulo, até a pose do personagem é a mesma do livro), o ogro desenhado por ele é um dos exercícios do livro, o ogro é legal e tudo, mas o exercício serve apenas para treino de criaturas fantásticas e não para colocar em sua obra! Ter referências é bom, mas ter originalidade é melhor. Meu caro mangaká, seja arrazoado e reflita sobre isso.
    Paulo Alberto ataca com mais um gag mangá cheio de ação e piadas ácidas. Seu tom crítico é adorável e suas piadas um refresco. A história gira em torno de um garoto lê tanto quadrinhos na infância que tenta dar uma de herói. Acredite, existe gente assim na vida real… só que sem os super poderes.

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *