ACTION HIKEN, VOLUME 1

Avaliado como 3.00 de 5, com baseado em 1 avaliação de cliente
(1 avaliação de cliente)

R$14,05R$19,85

Antologia de mangás nacionais publicada originalmente online. Novas edições todo mês!

Mês
Novembro/2015

Capa
Varinha das Almas [Kleverson Lacerda]

Séries
1 – Varinha das Almas #01 – Kleverson Lacerda
2 – Sabaku Sandã #01 – Marcos Turatti
3 – O Som da Coragem #01 – Eddy e Doryack
4 – Acidental Power Heroes #01 – Gabriel Silva
5 – Os Aventureiros #01 – Waldenis Lopes
6 – Borboletas (One-Shot) – Maicon Kener

134 páginas

Preto e Branco

Capa: Papel Cartão Plastificado

Brochura, costurado e colado

Limpar

Informação adicional

Peso N/A
Dimensões N/A
Tipo de Papel

Papel Offset 90g (Branco), Papel Reciclado 75g (Amarelado)

Tamanho

10x13cm (Pocket), 16,5×12,5cm (Padrão)

Impressão

Tinta, Laser

1 avaliação para ACTION HIKEN, VOLUME 1

  1. Avaliação 3 de 5

    Caliel Alves

    O Revista Action Hiken ed. #1 – TOC do mês de novembro de 2015

    O punho de fogo entra em ação!

    Capa [Todos os protagonistas da RAH]
    Varinha das Almas – Cap. 01 – por Kleverson Lacerda
    Sabaku Sandã – Cap. 01 – por Marcos Turatti
    O Som da Coragem – Cap. 01 – arte por Eddy, roteiro Wolf Doryack
    Acidental Power Heroes – Cap. 01 – por Gabriel Silva
    Os Aventureiros: no Castelo Místico – Cap.01 – por Waldenis Lopes
    Borboletas – [One-shot] – arte Maicon Kener, roteiro Fábio Gesse

    A capa ficou muito legal, dá uma palhinha do que encontraremos ao ler a coletânea. Os mangakás, bem como os editores parecem bastante jovens, sejam na produção artística ou na idade, veja os comentários dos autores! Isso é um bom fator, e até divertido ver como enxergam a si e ao seu trabalho, suas dificuldades etc.
    Começando com Varinha das Almas, eu gostaria de destacar o autor, que parece ser super gente boa. Sua humildade e otimismo permeiam sua obra, a deixando muito leve, embora seja um B-Shonen daqueles. A história é uma fantasia que trata de bruxaria no modo mais sinistro do tema, o protagonista Lafayette (com dois T mesmo) é o típico protagonista shonen, bem humorado, altruísta e até ingênuo, alguém aí se identificou? Ele aparenta ser um adolescente, embora já seja um bruxo poderoso, numa extravagante demonstração de força dentro do capítulo. O traço em vias de desenvolvimento entrega personagens carismáticos, necessitando um melhor trabalho de artefinalização. O ponto fraco foi a rapidez dos eventos, a amizade dele e do espadachim Rafael (que guarda a espada numa sombrinha!) deveria ter sido construída em mais páginas. Mesmo assim acredito e respeito muito no trabalho do Kleverson para me estender.
    Sabaku Sandã é aquele shonen com cara oitentista, num mundo desértico, futurista e cruel. Nesse universo paralelo e anacrônico, vemos Clouds e Umma. Inevitavelmente, a cena inicial no deserto me fez lembrar automaticamente de uma série de referências. A situação clichê se torna algo esplêndido quando o autor usa um sábio time skip, desenvolvendo a trama sem pressa, mas com a dinâmica necessária. Clouds e Umma são irmãos, como Yin e Yang, opostos e complementares. Se você gosta de gag mangá com pitadas de humor e traço à moda da década de 80, SS é a escolha certa. O Marcos Turatti só precisa melhorar na proporção e anatomia, de resto não está mal.
    Três coisas que você precisa saber sobre O Som da Coragem para ler e se surpreender: o mangá não tem balões, o traço não tem nenhum tipo de artefinalização de deban déssine e parece uma narração de RPG. Com esses elementos, os autores conseguem entregar o que seria um pilar da revista por algum tempo. O traço, embora simples, compensa com uma boa diagramação. O roteiro é uma missão de combate, cheio de magia e aventura, como na fantasia medieval de capa, espada e magia. Cada classe de RPG está devidamente representada, raças arquetípicas inclusas.
    Acidental Power Heroes é até difícil de comentar. O desenho é tosco e o roteiro não convence ninguém. Com certeza, esse é o título mais fraco da história da antologia, nem imagino porque foi publicado. A coisa é tão esquisita que nem uma sinopse que conseguir formular!
    Passamos pro próximo, Os Aventureiros: No Castelo Místico é um gag mangá cheinho de críticas a fantasia tradicional, quebrando muitos tabus, e investindo em piadas sobre o próprio mundo otaku e do universo dos gamers. Aqui, você encontra heróis que não são heróis e princesa que não é princesa. Leia de modo descompromissado, arte pouco rebuscada e roteiro trolador.
    Uma história de suspense, Borboletas, livremente baseada na teoria do caos. Os autores tentaram trazer um conteúdo mais sério e de aspecto filosófico na revista, o problema é que o one-shot era curto demais pra um temática. Arte simples, porém sombria o suficiente. Hachuras e texturas no luar certo.
    Assim finalizamos nosso primeiro TOC da Revista Action Hiken, até o próximo.

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de…